Eu confesso: sou um colecionador de notícias

Sendo que vivemos numa época em que muitos são elogiados, pelas mais diversas razões, por “saírem do armário”, pensei que talvez tenha surgido uma oportunidade de eu fazer o mesmo. Mas, rapidamente me apercebo que, afinal, nunca estive dentro de armário algum, embora por várias vezes tenha sido empurrado para “dentro da gaveta”…

Como tal, mais não me resta do que assumir o óbvio: sim, sou um colecionador de notícias.

E porque razão é que sou? Pela simples e única razão de que sou um Adventista do Sétimo Dia, crente da Bíblia e nas recomendações dos testemunhos inspirados da mensageira do Senhor. Talvez não tenha uma coleção tão grande quanto gostaria. Mas, como dizia Pedro “Não tenho prata nem ouro; mas o que tenho isso te dou” (Atos 3:6), o pouco que tenho, é isso que partilho com todos o que querem ver a humilde exposição. Ainda assim, e mais para inspiração de todos do que para minha defesa, permitam-me explicar algumas das razões para ter iniciado e ainda continuar com a minha coleção.

Em primeiro lugar, a ordem bíblica de estarmos atentos, dada por Aquele que não pode cometer erros:

“Vigiai, pois, em todo o tempo, orando, para que sejais havidos por dignos de evitar todas essas coisas que hão-de acontecer e de estar em pé diante do Filho do homem” (Lucas 21:36).

Depois, porque embora sendo um desgraçado pecador, sinto uma enorme alegria de fazer parte de um povo especial, com a missão especial de acompanhar o desenrolar dos acontecimentos:

“Deus tem sobre a Terra um povo que, com fé e santa esperança, está acompanhando o rolo da profecia a cumprir-se rapidamente, e buscando purificar a alma na obediência à verdade, a fim de que não sejam encontrados sem as vestes nupciais quando Cristo aparecer. … Os sinais preditos na profecia estão-se cumprindo rapidamente em volta de nós. Isto deve despertar todo verdadeiro seguidor de Cristo, levando-o a zelosa ação” (Testemunhos Seletos, v. 1, p. 505) – ou seja, colecionar notícias é um dos fatores que nos deve motivar à ação de pregação do evangelho!

Novamente na Sagrada Escritura, temos um sério aviso – dado para alguns irmãos no passado mas que podemos estender até hoje – caso negligenciemos fazer uma coleção, por muito pequena ou mesmo de memória que seja, de tudo quanto se passa à nossa volta: “Se não vigiares, virei a ti como um ladrão, e não saberás a que hora sobre ti virei” (Apocalipse 3:3).

Em jeito de confirmação, o apóstolo Paulo adverte mesmo para esse perigo, como descreve a serva do Senhor em palavras que nos devem fazer tremer:

“Paulo ensina ser pecaminoso mostrar-se indiferente aos sinais que devem preceder à segunda vinda de Cristo. Aos culpados desta negligência chama ele filhos da noite e das trevas. Ao vigilante e atento anima ele com estas palavras: ‘Mas vós, irmãos, já não estais em trevas, para que aquele dia vos surpreenda como um ladrão. Porque todos vós sois filhos da luz e filhos do dia; nós não somos da noite nem das trevas. Não durmamos pois, como os demais, mas vigiemos, e sejamos sóbrios’ I Tessalonicenses 5:4-6” (Atos dos Apóstolos, p. 260)

E quem são aqueles que mais esforçadamente deveriam fazer uma coleção de notícias? O que têm os testemunhos inspirados a dizer sobre eles?

“Os pastores, que, como ‘vigias sobre a casa de Israel’, deveriam ter sido os primeiros a discernir os sinais da vinda de Jesus, não quiseram saber a verdade, quer pelo testemunho dos profetas, quer pelos sinais dos tempos” (O Grande Conflito, p. 380) – uma vez que parecem de certa forma demitir-se dessa função, lá têm as ovelhas de humildemente ocupar o lugar que fica vazio.

Posto isto, e pela minha parte, a coleção de notícias veio para ficar. E aumentar, enquanto o Senhor o permitir.

PARTILHE ESTE ARTIGO!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.