Vaticano reafirma que não há salvação fora da Igreja romana

O Vaticano publicou uma carta emitida pela Congregação Para a Doutrina da Fé (que, na prática, é a antiga Santa Inquisição) e autorizada pelo papa Francisco, intitulada “Placuit Deo”.

A carta, destinada aos bispos da Igreja Católica, tem como objetivo central a denúncia de duas antigas heresias: o pelagianismo e o gnosticismo. O documento refere que “Prolifera em nossos tempos um neo-pelagianismo em que o homem, radicalmente autónomo, pretende salvar-se a si mesmo sem reconhecer que ele depende, no mais profundo do seu ser, de Deus e dos outros.

Enquanto o texto da carta assevera certas realidades indesmentíveis, como o facto de o homem não conseguir salvar-se a si mesmo nem por si mesmo, uma das soluções propostas recupera um dogma, ainda vigente, da Igreja Católica conhecido como “Extra Ecclesiam nulla salus”, isto é, não existe salvação fora da Igreja Católica, que é totalmente necessária para a salvação daqueles que se dizem cristãos.

Podemos perceber isto quando lemos na carta que “O lugar onde recebemos a salvação trazida por Jesus é a Igreja, comunidade daqueles que, tendo sido incorporados à nova ordem de relações inaugurada por Cristo, podem receber a plenitude do Espírito de Cristo”, indicando que, na leitura romana, ninguém receberá a salvação nem o Espírito de Cristo a não ser no âmbito e na comunhão da Igreja Católica.

A carta encoraja os seus crentes para que estejam “prontos para estabelecer um diálogo sincero e construtivo com os crentes de outras religiões, na confiança que Deus pode conduzir à salvação em Cristo todos os homens de boa vontade, em cujos corações a graça opera ocultamente.

Dito de outra forma, Roma confirma a sua pretensão a ser a única Igreja que pode salvar pessoas, nomeadamente as que se confessam cristãs, não descurando as intenções proselitistas que culminam em trazer novamente aos braços de Roma toda a cristandade.

Aquilo que a Bíblia ensina é que não há salvação fora de Cristo:

“Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.” João 14:6.

“Seja conhecido de vós todos, e de todo o povo de Israel, que em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, aquele a quem vós crucificastes e a quem Deus ressuscitou dentre os mortos, em nome desse é que este está são diante de vós. Ele é a pedra que foi rejeitada por vós, os edificadores, a qual foi posta por cabeça de esquina. E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos.” Atos 4:10-12

Através da pena inspirada, sabemos que este dogma romano é um caminho traiçoeiro no qual muitos protestantes se irão afundar:

“Não conseguimos ver como a Igreja romana poderá desembaraçar-se da acusação de idolatria. … E esta é a religião que os protestantes estão começando a encarar com tanto agrado e que finalmente se unirá com o protestantismo. Esta união não será, porém, efetuada por uma mudança no catolicismo, pois Roma não muda. Ela declara possuir infalibilidade. É o protestantismo que mudará. A adoção de ideias liberais, de sua parte, o conduzirá ao ponto em que possa apertar a mão do catolicismo.” Ellen White, The Review and Herald, 1 de Junho de 1886.

 

PARTILHE ESTE ARTIGO!

3 comentários em “Vaticano reafirma que não há salvação fora da Igreja romana

  1. O tempo é de separação do Joio do Trigo, enquanto o Joio é reunido atado para ser queimado, o trigo é ajuntado no celeiro do Senhor

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *