Igrejas de Zeeland protestam contra as compras ao domingo

Dois terços das igrejas protestantes no município de Tholen, Zeeland [nd.r.: Holanda], lançaram uma campanha contra o uso da bandeira do arco-íris para apoiar os direitos dos gays e a abertura de lojas ao domingo. No total, 22 das 33 igrejas nas duas antigas ilhas que formam Tholen publicaram um artigo no jornal local dizendo que “as normas e valores cristãos estão sendo empurrados para o lado”. No mês passado, o conselho de Tholen concordou em erguer a bandeira do arco-íris no Dia Nacional de Sair do Armário e permitiu que as lojas em algumas áreas turísticas sejam abertas sete dias por semana.

No anúncio, as igrejas dizem que estão “muito preocupadas” com o modo como os valores cristãos estão sendo atirados para o lado. O apoio à homossexualidade, dizem eles, “contraria a ordem bíblica da criação”, enquanto permitir que as lojas abram ao domingo vai contra o quarto mandamento, que exige um dia de descanso. Fonte: Dutch News

Nota: dois aspetos sobressaem desta iniciativa. Em primeiro lugar a perceção religiosa, no caso protestante, de que os valores cristãos estão a ser atacados pelo secularismo prevalecente, sendo que, neste âmbito, a questão homossexual é um dos maiores expoentes.

Deopois, e mais uma vez, a razão apontada para o encerramento do comércio ao domingo é o quarto mandamento da lei de Deus que “exige um dia de descanso”.

É claro que o dia de descanso sugerido nesse mandamento é o sétimo, o Sábado; mas numa simples frase conseguimos perceber a substituição que foi feita no cristianismo do dia de repouso bíblico para o dia de repouso papal.

Se quisermos reclamar o domingo como dia de descanso, o único recurso possível é a (autoproclamada) autoridade da Igreja Católica e não da Bíblia. Apelar para a autoridade dos Dez Mandamentos ao mesmo tempo que se defende o descanso ao domingo apenas denuncia o erro crasso de não apontar o Sábado como o verdadeiro dia de descanso bíblico.

Em conclusão: o título da notícia diz que as igrejas protestam contra as compras ao domingo. Na verdade, deveriam era protestar contra a mudança do dia bíblico de descanso. Ou seja, na prática, o seu protesto para apoia Roma.

PARTILHE ESTE ARTIGO!

Um comentário em “Igrejas de Zeeland protestam contra as compras ao domingo

  1. Interessante que a maioria esmagadora dos evangélicos no Brasil e outras partes condenam o sábado o quanto podem, mas também “não morrem de amores” pelo domingo. Preferem mesmo é o mais cômodo “dianenhumismo/diaqualquerismo” alegando que o domingo NÃO É MANDAMENTO para a Igreja, e sim uma espécie de “SUGESTÃO”, e que Deus aceita de bom grado qualquer atitude que se tome–de guardar fielmente o sábado, guardar relaxadamente o sábado, guardar fielmente o domingo, guardar relaxadamente o domingo, não guardar dia nenhum. . .

    Um deusinho bem camarada esse, não é mesmo?!

    Mas as coisas nem sempre foram assim. Para terem ideia de como era e do que se passou para termos hoje um “domingão do crentão” em lugar do respeito fiel pelo 4o. Mandamento, vejam este vídeo de 20 minutos:

    https://www.youtube.com/watch?v=uVumxxRFKSY

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *